terça-feira, 24 de janeiro de 2012

POR AMOR

 
Há pouco minutos atrás me vi encurralada por meus próprios sentimentos, sentada no chão do banheiro, lamentando com cada célula do meu corpo o fato de não poder tê-lo comigo e, ao contrário da criança que fui, não chorei, e isso machuca muito mais, significa que já chorei muito, ou que pressinto algo mais profundo, mais intenso. Mas se for pra sofrer, que seja por amor, por esse maldito amor que não sai dos meus pensamentos um só minuto nas últimas semanas, por esse amor que eu ainda não soube admitir, mas que soube me devastar. É isso. Eu estou devastada, destruída, machucada, e não quero que mintam que se importam, não quero falsas promessas, quero - pelo menos uma vez - algo que seja verdadeiro, algo que valha a pena, que não se apague depois de alguns meses, que não se esqueça por mera ausência.

CAIO FERNANDO ABREU

Nenhum comentário: